A Primeiraça!

Ouça Ao Vivo

×

Ouça Ao Vivo


   

Home Notícias

Retorno de aulas presenciais para crianças no ES exige cartão de vacinação em dia


Além dos cuidados com a higiene para evitar a contaminação do novo coronavírus, os pais precisam estar atentos às outras doenças que podem atrapalhar a saúde dos pequenos

14.05.2021

Foto: Governo do Espírito Santo

No início desta semana houve mudança na rotina das famílias com crianças. Depois de muito tempo em casa, os alunos com faixa etária até 10 anos de idade retornaram às escolas públicas e privadas localizadas nos municípios capixabas classificados como risco alto para a covid-19 — como é o caso da Grande Vitória.

As atividades serão nos mesmos moldes presentes hoje nas cidades de risco baixo e moderado, ou seja, 50% dos alunos em sala de aula e os demais 50% em ensino remoto.

Mas, além dos cuidados com a higiene para evitar a contaminação do novo coronavírus, os pais precisam estar atentos às outras doenças que podem atrapalhar a saúde dos pequenos. A boa notícia é que para a maioria delas já existe vacina.

“Com a volta às aulas é muito importante que as crianças estejam com as vacinas em dia, atualizadas. Nós não podemos esquecer que várias doenças que são muito graves e incidem principalmente nessa época do ano, como as meningites, as coqueluches, a pneumonia”, disse a infectologista Euzanete Maria Cozer.

Leia mais: Mesmo com medidas de segurança nas escolas do ES, pais optam por manter filhos em casa

A reforçou que a vacinação é essencial nesse período do ano. “As crianças tem que estar com as vacinas todas em dia. Voltas às aulas segura tem que ser com cartão de vacinação em dia, todas vacinadas para não correr riscos”, pontuou.

Principais vacinas para crianças

1. BCG

A vacina BCG protege contra as formas graves de tuberculose. Deve ser aplicada no primeiro mês de vida, no braço direito e a reação ocorre nas semanas seguintes, devendo somente ter cuidados locais como a limpeza com água e sabão.

2. Hepatite B

A vacina é muito segura e eficaz, apresentando uma proteção de mais de 95%. Pode ser aplicada desde o primeiro dia de vida, sendo recomendada nas primeiras 12 horas após o nascimento para evitar a transmissão do vírus de mãe para filho.

A vacina deve ser feita em três doses: as duas primeiras com um mês de intervalo e a terceira, seis meses após a primeira.

3. Hepatite A

A vacina contra hepatite A entrou no calendário básico de vacinação neste ano de 2017. É uma única dose, administrada em crianças de 15 a 23 meses.

4. Penta/DTP

A vacina Penta/DTP oferece proteção contra cinco doenças:

difteria;

tétano;

coqueluche;

hepatite B;

infecções causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo b.

Ela é dada aos 2, 4 e 6 meses de vida e tem reforço em duas ocasiões: aos 15 meses e aos 4 anos.

5. VIP/VOP

A vacina VIP/VOP protege contra a poliomielite — paralisia infantil. É aplicada aos 2, 4 e 6 meses de vida.

Os reforços devem ser tomados aos 15 meses e aos 4 anos — e também durante as campanhas anuais de multivacinação.

As três primeiras doses são da Vacina Inativada Poliomielite (VIP), injetável. Os demais reforços, normalmente, são com o vírus atenuado (VOP), em gotinhas.

6. Pneumocócica 10-valente

A pneumocócica 10-valente garante proteção contra dez subtipos da bactéria pneumococo. São duas doses: aos 2 e aos 4 meses. O reforço é feito aos 12 meses.

Em redes privadas a pneumocócica é 13-valente e protege contra mais três tipos de pneumococo, além daquelas 10 oferecidas pela rede pública, aumentando a proteção do bebê.

7. Rotavírus

A vacina contra o rotavírus é tomada em duas doses: aos 2 e aos 4 meses. O rotavírus provoca infecção gastrointestinal e é grave para os bebês, podendo levar à morte por desidratação.

8. Meningocócica C

A meningocócica C é aplicada aos 3 e aos 5 meses, com um reforço aos 12 meses. Ela protege contra a meningite C — doença que pode causar surdez e lesões cerebrais permanentes.

9. Febre Amarela

A vacina contra a febre amarela é tomada aos 9 meses, com dose única. Existia um reforço aos 10 anos, porém, houve uma mudança no esquema vacinal e essa dose não é mais necessária, apenas para áreas de risco.

10. Tríplice Viral

A tríplice viral protege contra o sarampo, rubéola e caxumba. É a vacina de vírus disponibilizada na rede pública. Devem ser aplicadas duas doses, a primeira aos 12 meses de vida, um reforço aos 15 meses e outra entre os 4 e 6 anos de idade.

11. Tetra Viral

A tetra viral não é disponibilizada pela rede pública e oferece proteção para mais um vírus. Além do sarampo, caxumba e rubéola, protege também contra a varicela (catapora). É aplicada aos 15 meses, no reforço da Tríplice viral.

12. Influenza

A vacina contra gripe (Influenza) deve ser tomada todos os anos por crianças de seis meses a cinco anos.

13. HPV

A vacina contra HPV é para meninas de 9 a 14 anos — e também para meninos de 12 a 13 anos.

O vírus do papiloma humano (HPV) é transmitido sexualmente e está relacionado ao câncer de colo de útero.

Por isso, o objetivo é imunizar as crianças bem antes do início da vida sexual, reduzindo, assim, os índices desse tipo de câncer.

 

Confira a fonte original do Folha Vitoria, clicando aqui.

 

 

 

Comentários


 

 

Mais

Canal de Prêmios


O maior canal de prêmios do Sul do Estado, ligue e participe.
  28 3542-1017

 

Redes Sociais


   

 

© Rádio Cultura de Castelo FM. Todos direitos reservados.

Produção / Cadetudo Soluções Web